RSS

Estive lúcido um dia

03 ago
James Cagney e Anita Louise em A Midsummer Night's Dream (Sonhos de Uma Noite de Verão), 1935.

James Cagney e Anita Louise em A Midsummer Night’s Dream (Sonhos de Uma Noite de Verão), 1935.

 

Estive lúcido um dia. Agora não. A lucidez não me encanta. A música é melhor em toda a loucura.
Todo o texto é melhor compreendido na criptografia do delírio e toda a melhor conversa na embriaguez dos gestos improvisados.
Não há coisa mais enfadonha do que os costumes aceitos.
Eu cheiro mal aos conformados, os nitidamente aceitáveis.
Sou o ranço imundo da controvérsia. Esfera que gira sem destino. Planeta em que não se habita e que sou o único habitante.
Não por ser hostil, mas quem viverá partilhando tal heresia?
E o mar faz marolas. O Por do sol é belo.
Deito. E durmo. Sonho outra vez.

S. Quimas

 
Deixe um comentário

Publicado por em agosto 3, 2018 em Pensamentos e Reflexões

 

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: